Texto

     Aquele que crê possuir a verdade erra em não se preocupar em procurá-la.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Vereadores: Aumentar ou não aumentar, eis a questão...

O assunto que tem gerado uma grande polêmica no momento em Sarandi é o aumento ou não do número de vereadores para o pleito que irá iniciar-se em 2013, uns querem, outros não. Entre as opiniões divididas estão, por exemplo, os vereadores Biancho, que é contra e Belmiro que é a favor ao aumento do número de vereadores. Diante da situação, entidades como a Igreja Católica e a ACIS entraram na briga, as duas entidades são contra o aumento, mas a decisão está nas mãos dos vereadores, que tentam usar a situação em benefício próprio, uns para ficarem "bem na foto" com os eleitores, outros para garantirem uma vaga no legislativo.

Analisando melhor, podemos concluir que um assunto tão polêmico merece um debate mais amplo, que deveria envolver vereadores, entidades de base, religiosos e a população em geral. Hoje, a Câmara municipal pode receber até 6% da Receita Corrente líquida do município, e o que a Câmara Municipal não usa deste percentual devolve para o executivo que faz o remanejamento. Contudo, mesmo havendo o aumento do número de vereadores isso não incorrerá no aumento do percentual rebebido, ou seja, com 10, 13, 15 ou 17 vereadores a Câmara Municipal receberá sempre os mesmos 6% da Receita Corrente líquida do município.

Representatividade

Hoje, o município de Sarandi já possuí uma população de quase 90 mil habitantes, isto resulta em 1 vereador para cada 9 mil habitantes, ou seja, cada vereador tem que trabalhar e lutar pelos interesses de cerca de 9 mil habitantes. É óbvio que um vereador não conseguirá satisfazer as vontades e necessidades de 9 mil habitantes.

Sendo assim, o aumento do número de vereadores poderia trazer uma maior representatividade para os Sarandienses, ou seja, se por exemplo, o número de vereadores subir para 17, cada vereador terá, em tese, que trabalhar em prol dos interesses de 5294 habitantes, um número bem menor.

De qualquer forma, qualquer mudança a esse respeito deveria passar por uma discussão aberta e organizada, visando um consenso que beneficie a coletividade Sarandiense.


Imagens: RICTV/RECORD

1 Comentários:

Anônimo disse...

Me desculpe dizer caro Reginaldo, mas, sua matématica quanto ao assunto está furada, se assim for Maringá precisaria de mais de trinta vereadores.
Precisamos de edis envolvidos com os problemas do municipio, e não tão somente preocupado em como se eleger na próxima eleição.
Precisamos sim de edis que trabalhem em favor do povo, e não somente a favor dele mesmo e de meia dúzia de pessoas.

Precisamos sim de edis como hoje em dia não temos, apenas um pequeno número de edis que realmente bate de frente, e luta pelo povo, são dois.
Precisamos sim de edis, pode ser somente dez, com qualidade, de nada adianta ter um número maior de edis, para continuar somente recebendo o salário que o povo paga.
Se houvesse um pouco de hombridade todos deixariam este projeto caducar e entrar no esquecimento realmente.